FESTA DO TRABALHADOR

FESTA DO TRABALHADOR

O Sindicato dos Trabalhadores Metalúrgicos de Divinópolis e Região realizou o dia 1 de Maio uma grande festa em comemoração ao dia do trabalhador. Cerca de 3 mil pessoas estiveram presentes no ev....

Ato político em Brasília denuncia ACE em 28 de novembro de 2012

Ato político em Brasília denuncia ACE em 28 de novembro de 2012

Ato político em Brasília denuncia ACE e prepara e marcha nacional em 2013 contra os ataques aos trabalhadores

 

 O seminário nacional em Brasília, realiz....

Sindicato leva solidariedade a colombianos em greve de fome

Sindicato leva solidariedade a colombianos em greve de fome

Dirigentes do Sindicato viajam, nesta sexta-feira, dia 17, a Bogotá, onde se encontrarão com o grupo de trabalhadores colombianos que fazem greve de fome, desde o final do mês passado, em protesto ....

Sindicato vota apoio à greve da educação federal

Sindicato vota apoio à greve da educação federal

Diretoria vota também apoio à greve da construção civil de Fortaleza

A diretoria executiva do Sindicato votou nesta segunda-feira, dia 28....

Rio+20 tem início, mas sem perspectiva de grandes metas

Rio+20 tem início, mas sem perspectiva de grandes metas

Paralelamente ao evento da ONU, será realizada a Cúpula dos Povos, com participação da CSP-Conlutas Tem sido destaque na mídia a Rio+20, conferência que com....

Sindicato fortalece iniciativas para defender empregos na GM

Sindicato fortalece iniciativas para defender empregos na GM

O Sindicato intensificou, nos últimos dias, as iniciativas para defender a manutenção dos empregos dos metalúrgicos da GM. Representantes do Sindicato têm cobrado do ....

Moção de solidariedade aos trabalhadores europeus da Opel e PSA

Moção de solidariedade aos trabalhadores europeus da Opel e PSA

Os trabalhadores não podem pagar pela crise criada pelos patrões e banqueiros que vivem da pilhagem e da exploração operária Nós, do Sindicato dos Metal&ua....

Moção de solidariedade aos trabalhadores da General Motors da Colômbia

Moção de solidariedade aos trabalhadores da General Motors da Colômbia

Os operários da General Motors na Colômbia estão expostos a precárias condições de trabalho. Seguindo o modelo de exploração adotado em todo o mu....

Imprimir
PDF

Sindicato leva solidariedade a colombianos em greve de fome

altDirigentes do Sindicato viajam, nesta sexta-feira, dia 17, a Bogotá, onde se encontrarão com o grupo de trabalhadores colombianos que fazem greve de fome, desde o final do mês passado, em protesto à iniciativa da General Motors de demitir operários com doenças adquiridas no trabalho.

Como parte do protesto, sete metalúrgicos colombianos costuraram os próprios lábios. Nesta semana, o abatimento dos grevistas tornou-se mais evidente. O grupo teve de receber auxílio médico e recebeu soro em suas veias.

O vice-presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de São José, Herbert Claros da Silva, e o diretor Renato de Almeida, trabalhador da GM em São José, devem visitar o acampamento, em frente à embaixada dos Estados Unidos na capital colombiana, onde está o grupo de 12 manifestantes -- todos eles demitidos pela GM Colmotores (subsidiária da companhia na Colômbia).

A visita dos dirigentes do Sindicato (filiado à CSP-Conlutas) terá caráter de solidariedade à luta travada contra os ataques da montadora e pela reabertura das negociações, encerradas arbitrariamente pela empresa.

Protesto acontece há mais de um ano
O protesto em Bogotá é organizado pela Asotrecol, associação que reúne trabalhadores e ex-trabalhadores que adquiriram doenças na GM. O acampamento está montado em frente à Embaixada norte-americana há mais de um ano.

Jorge Alberto Parra Andrade, 35 anos, trabalhou por nove anos na GM, como soldador e técnico mecânico. Devido à função que desempenhava, adquiriu hérnia de disco, síndrome do túnel do carpo e outros problemas na coluna, passou por três cirurgias e, mesmo assim, foi demitido.

Segundo Parra, que hoje é presidente da Asotrecol, as graves doenças adquiridas pelos trabalhadores demitidos os impedem até mesmo de conseguir outros trabalhos.

"Nossas enfermidades nos deixaram sem trabalho, sem assistência médica e sem condições de sustentar nossas famílias. E a GM mantém a postura de não nos recompensar pelo dano que causou em nossas vidas", afirmou ele, que também faz greve de fome e chegou a ter os lábios costurados.

"A GM nos oferece duas alternativas: morrer de fome devido à falta de emprego ou morrer lutando. Por isso, este nosso protesto extremo é a nossa última alternativa", completou.

Solidariedade Internacional
Na última quarta-feira, a ONG Witness of Peace já havia estado com os colombianos.

No mesmo dia, em pelo menos cinco estados norte-americanos, ativistas entregaram cartas nas concessionárias da GM pedindo respeito aos direitos dos trabalhadores. Além disso, sindicalistas protestaram em frente à sede da montadora, em Detroit, reivindicando que a empresa atenda os trabalhadores colombianos.

A ação da GM não acontece apenas na Colômbia. No Brasil, a companhia demitiu vários trabalhadores com doenças ocupacionais, entre o final de 2011 e começo de 2012, em sua unidade em São José dos Campos. A demissão arbitrária ocorreu mesmo com a garantia de estabilidade, prevista na Convenção Coletiva da categoria, que veta a dispensa de companheiros lesionados.

Centenas de metalúrgicos foram afetados e, nos últimos meses, ações na Justiça têm conseguido garantir o retorno à fábrica de alguns demitidos.
Anexos:
Fazer download deste ficheiro (Campanha Salarial de 2012.doc)Lançamento da campanha Salarial de 2012/2013[Campanha salarial 2012]22 Kb
Fazer download deste ficheiro (Confrontos entre policiais e mineiros deixam 30 mortos na África do Sul.doc)Massacre na Africa do Sul[Massacre na Africa do Sul]94 Kb
Fazer download deste ficheiro (Minuta de acordo coletivo de 2012-2013.jpg)Minuta do Acordo Coletivo de Trabalho de 2012[Reajuste]1077 Kb

Enquete

Qual a forma de conquistarmos PLR maior este ano?
 

Charge da Semana



VEJA MAIS CHARGES